STEAM PROJECT – “Sabia que isso ia acontecer…”

 

Este post fala dos riscos que assumimos em projetos.

Muitas vezes os riscos que você toma para avançar rapidamente no seu projeto, faz você aparecer muito burro depois. Você quase pode se ouvir: “Sabia que isso ia acontecer…”.

Aconteceu isso também com o Steam Project. Eu queria testar o mais rápido possível o protótipo que acabou, literalmente, derretendo e enchendo o banheiro de fumaça. Eu sabia que isso poderia acontecer, mas achava que conseguiria desligar a resistência a tempo. Mas não deu. E o tubo foi perdido.

É nessa hora que as pessoas geralmente se questionam: Por que fiz isso? ou Por que não pedi ajuda? No entanto, seja lá qual for a resposta, a conclusão pode te surpreender. Afinal, se você tivesse feito todas essas coisas inteligentes antes de se jogar, não teria nada para testar. E, ainda por cima, não teria um segundo, melhor protótipo, pronto agora. Certo?

Assim, no meu caso, no final das contas, esse incidente realmente me deu algumas idéias novas e ainda uma chance de construir um novo protótipo. Desta vez com algumas novas soluções às quais eu provavelmente nunca chegado se não tivesse derretido o primeiro exemplar.

O novo protótipo, que é feito de epóxi e fibra de vidro, é meio transparente. Isso é ótimo quando você quer analisar o fluxo dentro do tubo para tornar o aquecimento mais eficiente. Agora posso colocar tinta na água e ver como ela se comporta dentro do tubo e perto da resistência. Também conectei uma lâmpada ao circuito. Isso faz com que eu possa ver o quanto de energia a resistência recebe. Legal, né?

O software também foi atualizado. Agora não é mais possível ligar a resistência sem que a água esteja ligada. Essa função, mais a instalação de mais um interruptor perto do chuveiro, tornam os testes muito mais seguros.

Claro que se eu soubesse de tudo isso desde o início, evitaria o erro. Mas tenho certeza que outro erro aparentemente estúpido seria cometido e provavelmente ainda será. O futuro é tão cheio de coisas que podem dar errado, que é impossível saber qual novo problema haverá para ser corrigido. Mas, o passado, por outro lado, sempre dá respostas claras e é sempre possível não apenas aprender com elas, como aproveitá-las para melhorar sempre. Além disso, se você preencher o passado apenas com coisas já testadas, o que vai aprender?

Daí a pergunta mais importante acho que acaba sendo,

o que você está disposto a arriscar para inovar?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *